segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Olavo



Este lindo boxer, nos achou em 09/12/2007, no Boulevard....fiquei com dó, pois estava na cara que estava abandonado. Magro, comia todos os pães que oferecíamos. Olha, até ele se dar bem com meus outros cães, foi uma tortura! Na semana seguinte, após colocar um anúncio no jornal, enfim aparece a dona dele. Simpática, gentil, falou que iria buscá-lo à noite....nem sinal da mulher! Deu uma desculpa que a casa estava em reforma, que ele iria para Limeira, que não havia lugar adequado, enfim, um monte de besteiras que eu já estava esperando.
Eu e minha sobrinha resolvemos ficar com ele. Meus Deus! Um tempo depois, descobri o porque a mulher não ter ido buscá-lo! O cachorro era o quiá em matéria de arte! Abria a geladeira, esparramava o saco inteiro de arroz no gramado de casa, pegava as roupas do varal e comia ujm saco de ração por semana!

Até que um dia, ele fugiu. Não sei se foi à noite, mas dei falta dele, logo após o almoço. E no mesmo dia, a pessoa que o encontrou me ligou, falando que não poderia ficar com ele mais nenhum dia! Nem perguntei o que ele havia aprontado, enfiei o cara de pau no carro e fui embora.
Até que ele mexeu com quem não podia: minha mãe! Ela sempre vai ficar alguns dias num rancho que ela tem lá em MS....sempre deixa as compras em cima da mesa, fora de casa. Nunca nenhum outro cão mexeu lá......até esse dia.
O Olavo espelhou quase todas as compras pelo quintal, abriu pacotes de pão, comeu as bolachas que ele gostava e deixava as que não gostava espalhadas para os passarinhos fazerem a festa. Minha mãe surtou e tivemos que doá-lo para uma amiga da família, que mora numa cidade próxima, numa chácara maravilhosa e que tem MUITA paciência com este ser de outro mundo!
Apesar das maluquices, eu sinto muito falta deste boxer negro.
Outro dia eu conto sobre a garrafa pet de Coca-Cola que ele carregou a madrugada inteira, depois de comer o salame que tirou da geladeira da quadra de tênis!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.....

3 comentários:

Karin Juliana disse...

Nossa Senhora!

Boxer é fogo, né? Já tive uma, se chamava Charlotte. Ela era o capeta em forma de cão (hahahahahahahahaha)!

Beijos!

Elaine disse...

Olá!
Então quer dizer que você já teve o seu Marley!
E que bom que mesmo sendo terrível ele não foi "jogado fora" pela sua família!
Elaine

Claudia Goulart disse...

Mas que cachorrinho mais esperto!
Já peguei muito cachorro de rua, quando adolescente, mas minha mãe me obrigava a arranjar um novo dono pra eles.
Quando casei, adotei 3 gatos e comprei um cão dashunhound.
bjs